12/01/11

à procura de um sonho

nunca é por demais lembrar que o livro de estilo deste blogue não se compadece com critérios de actualidade, pertinência ou até qualidade, só para dar três exemplos. esta é uma casa de amor e de verdade, e disto não nos desviamos nem um mililitro, convictos que estamos que assim é que é.

contudo, por razões meramente graves que se prendem com algumas dívidas que inadvertidamente contraímos, vemo-nos forçados a pronunciarmo-nos sobre temas mais populares para agradar a mais público e é só por isto tudo que hoje vamos falar à audiência do que se passou ao nível da castração do carlos casto.

o velho sodomita transformou o jovem modelo num jovem modelo efemeramente homossexual, muito provavelmente à custa de cocaína e outras drogas ilípticas e viagens a hotéis aqui e ali e, mais tarde, no jovem modelo efemeramente homossexual assassino fetichista condenado que hoje lemos nas revistas.

e então é só para dizer que estamos, e eu em particular também estou, convictos de que esta castração, precedida de homícidio, note-se, tem o responsável na pessoa do próprio castrado, anteriormente vítima de assassinato e que ao longo da vida sempre fez questão de ostentar uma atitude mental um bocado deplorável e gay.

infelizmente, enquanto as cinzas de carlos acariciarão a broadway, o sérgio, penso que se chama assim, irá ouvir o troar do martelo do juíz a enviá-lo de dedo em risque para uma cela fria e inóstipa dos estados unidos da américa.

post it, as minhas palavras são para o jovem branco condenado. que esteja sempre todo alerta e concentrado, pois só assim conseguirá sair ileso depois dos cinquenta anos lá dentro, que até podem ser menos.